Mais Acessadas

A história de Elis Regina contada no Cine Estação das Docas

Protagonizado pela atriz Andréia Horta, o filme traz algumas das passagens da carreira e vida pessoal da cantora.


Por: Redação ORM News com informações da assessoria Em 18 de março, 2017 - 13h08 - Cinema

A vida de Elis Regina - indiscutivelmente a maior cantora brasileira de todos os tempos, é contada nesta cinebiografia em ritmo energético e pulsante. O filme “Elis” será exibido amanhã (19), com sessões às 10h, 16h e 19h, no Cine Estação das Docas.

Foto: Divulgação

Protagonizado por uma inspirada Andréia Horta, o filme do estreante Hugo Prata traz algumas das mais relevantes passagens da carreira e vida pessoal da gaúcha, como a chegada ao Rio de Janeiro no dia do golpe de 1964; o primeiro contato com o boa praça Luiz Carlos Miéle e o charmoso Ronaldo Bôscoli (seu primeiro marido); o rápido sucesso e amadurecimento musical; o terror imposto pelos militares; a parceria amorosa e artística com o pianista César Camargo Mariano (que rendeu espetáculos históricos como “Falso Brilhante”, “Transversal do Tempo” e “Saudade do Brasil”); a maternidade e o fim da vida.

Em janeiro de 1982, a morte precoce de Elis Regina causou enorme comoção nacional. Mais que uma das maiores cantoras da música popular brasileira no auge da maturidade artística, Elis encarnava as esperanças de um país cansado de quase duas décadas de regime militar, sonhando com a volta do irmão do Henfil. Trinta e quatro anos depois, “Elis”, a cinebiografia da Pimentinha apresenta sua incrível trajetória às novas gerações e, claro, para que os milhões de fãs voltem no tempo e se deliciem descobrindo um pouco mais da sua história.

Na trilha sonora, espaço para grandes sucessos e fonogramas menos conhecidos, além de músicas de outros artistas como Nara Leão e Cartola. “Fascinação” é uma valsa de Maurice de Féraudy e Dante Marchetti. Mais de uma versão em português foi feita. Entretanto, a que ficou mais famosa, marcante na voz de Elis Regina, foi a de Armando Louzada.

O elenco conta com nomes fortes da dramaturgia nacional como Lucio Mauro Filho, Caco Ciocler, Zé Carlos Machado e Julio Andrade, que vivem respectivamente Miéle, Cesar Mariano, Romeu (o pai de Elis) e o dzi croquette Lennie Dale.

Serviço

Datas: 19 e 26 (domingo): às 10h, 16h e 19h

Ingressos: R$ 12,00 (meia-entrada). Gratuidade: pessoas acima de 60 anos.

A bilheteria funcionará aos domingos de 9h às 19h.

Local: Cine Estação, Estação das Docas.