Mais Acessadas

Acusado de abuso, Thyê volta às origens para buscar paz

Goleiro da seleção pede folga em seu clube, o Paulistano, viaja ao Rio de Janeiro, sua cidade natal, e recebe apoio dos companheiros de time


Por: Globoesporte.com Em 19 de agosto, 2015 - 09h04 - Pan-Americano

Há pouco mais de um mês, a vida do goleiro da seleção brasileira de polo aquático Thyê Mattos virou de cabeça para baixo. Acusado de abuso por uma menina de 22 anos em Toronto, o atleta perdeu o Campeonato Mundial, realizado em Kazan, na Rússia, e voltou ao Brasil para resolver os problemas com a polícia canadense. Jogador do Clube Paulistano, de São Paulo, Thyê treinou a semana passada inteira com seu time, mas pediu para voltar ao Rio de Janeiro, onde sua família mora, em busca de apoio. Gustavo Coutinho, jogador do clube e da seleção brasileira, elogia o amigo e diz que o goleiro tem como objetivo defender o país nas Olimpíadas de 2016:

- Ele ficou aqui a semana passada inteira, normal. Aí, ele foi para o Rio para resolver todos os problemas, os advogados estão lá. O impasse deve ser resolvido logo mais. Ele está um pouco perdido, mas tenho total confiança que ele vai dar a volta por cima, conheço ele de muito tempo, sei que ele já deu várias superações, tenho certeza que vai tirar de letra. O apoio da família, da namorada, toda estrutura lá é mais fácil para uma recuperação profissional dele. Ele quer muito jogar as Olimpíadas- disse Guzinho, como é conhecido o jogador. 

Thyê foi acusado de ter abusado de uma mulher de 22 anos em sua casa, no último dia 16 de julho, um dia depois da derrota brasileira para os Estados Unidos na final dos Jogos Pan-Americanos. Segundo Joanna Beaven-Desjardins, inspetora de crimes sexuais da polícia de Toronto, Thyê, acompanhado de um companheiro de seleção, teria ido à casa da vítima no dia 16. Lá, teria se aproveitado que a mulher estava dormindo e abusado sexualmente da vítima. Na sequência, fugiu do local. A inspetora não quis dar mais detalhes do caso.

Thye Mattos goleiro polo (Foto: Satiro Sodré/SSPress)

Amigo do jogador, Gustavo diz ter certeza da inocência do goleiro da seleção brasileira:

- Isso vai ser resolvido logo, ele é inocente, isso tudo vai ser resolvido. Tenho certeza que ele vai estar com a gente na seleção - disse o companheiro de clube. 

O cubano Pablo Cuesta, auxiliar técnico do time do Paulistano, esteve nos Jogos Pan-Americanos de Toronto na comissão da seleção feminina do Brasil. Ele diz que o goleiro já atuou em uma partida contra o Sesi-SP na última quinta-feira, e que conseguiu boas defesas:

- Dentro da água, está bem. Jogamos outro dia contra o Sesi-SP, jogou bem. O Thyê treinou com a gente na semana passada, pediu para ir ao Rio, mas deve voltar já na próxima semana. Ele quer participar com o grupo, estamos dando todo o apoio para ele, queremos que resolva tudo. Não converso com ele sobre isso (a acusação de abuso), até para não preocupar ele. A gente apoia ele em tudo, e o pedido dele foi ficar um tempo no Rio - disse.

No Rio de Janeiro, Thyê está treinando para manter a forma. O próximo compromisso com o Clube Paulistano é a Liga Nacional, no mês que vem. Thyê está inscrito na competição, principal competição de clubes do país. Segundo Ricardo Cabral, coordenador da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), não há nenhum problema com o jogador:

- Sim, ele pode ser inscrito na Liga, não existe nenhuma restrição no Brasil contra ele. No segundo semestre, após a Liga, os atletas estarão jogando na Europa por times fortes da Itália, Espanha, Hungria e Croácia. Sim, ele pode ser convocado para a seleção - disse Ricardo Cabral.

O advogado Marcelo Franklin, que cuida do caso, afirmou que só vai se manifestar quando estiver com o processo da polícia de Toronto em mãos.