Mais Acessadas

Boca de urna tem somente dois flagrantes em Belém

Forças de segurança registraram ainda caso de desrespeito à lei seca em Belém


Por: O Liberal Em 31 de outubro, 2016 - 09h12 - Eleições

Em coletiva, no Hangar, após a votação de ontem, pelo segundo turno das eleições municipais em Belém, dirigentes dos órgãos de Segurança Pública destacaram a ausência de maiores problemas para a segurança do pleito na capital paraense. Foram registradas apenas dois crimes eleitorais de boca de urna e uma situação de desacato à autoridade por conta da venda de bebidas alcoolicas. As três ocorrências geraram Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCOs). Foi um contraste em comparação com os 156 procedimentos registrados pelos órgãos de segurança no primeiro turno da eleição, um mês atrás. 

Um dos casos de boca de urna e o desacato foram flagrados no bairro do Marco. O outro caso de boca de urna foi registrado no distrito de Icoaraci. 

O esquema de segurança para o segundo turno das eleições deste ano, em Belém, foi coordenado pelo próprio secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Jeannot Jansen; juntamente com o secretário adjunto da Segup, coronel Hilton Benigno; a delegada Cristiane Ferreira; o comandante da PM, coronel Roberto Campos; o coronel Sérgio Alonso, responsável pelo Departamento de Operação da PM, delegados e agentes da Polícia Federal.

Na avaliação do secretário Jeannot Jansen, as instituições de Segurança Pública atuaram para dar um ambiente de tranquilidade aos eleitores no dia de ontem. "Se houve tranquilidade, é porque a sociedade, as lideranças, apesar das discussões que fazem parte do jogo político, foram tranquilas e seguiram as regras", observou.

O caso de desacato à autoridade policial foi cometido pelo dono de um bar, repreendido por vender bebida alcoolica, em desrespeito à portaria que instituiu a Lei Seca no dia da eleição, como destacou a delegada Cristiane Ferreira. Diferentemente do  que foi verificado no primeiro turno no Estado, em relação a crimes eleitorais, quando a Polícia Civil lavrou 156 procedimentos, agora, no segundo turno, apenas dois procedimentos foram registrados. E por parte da Polícia Federal, não houve qualquer registro de incidente.

Pelo acordo feito entre a Segup e a Polícia Federal, todos os flagrantes ficaram de ser encaminhados à Polícia Federal, enquanto todos os Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCOs) foram remetidos para a Polícia Civil. Ontem não houve flagrantes. 

A Polícia Civil atuou durante a eleição com o funcionamento de todas as delegacias, a Divisão de Operações Especiais (Dioe) e a Divisão de Atendimento ao Adolescente (Data)

O comandante da PM, coronel Roberto Campos, destacou que no primeiro turno, o Sistema Estadual de Segurança Pública se integrou com as Forças Armadas. Já no segundo turno, a segurança esteve basicamente com o sistema estadual, sempre em sintonia com o planejamento fechado com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Pará. O coronel Sérgio Alonso informou que atuaram ontem 1.100 homens da Polícia Militar. Da Polícia Civil, foram 224 policiais, como disse a delegada Cristiane. A PM atuou na comemoração do candidato vencedor do Segundo Turno em Belém, na avenida Visconde de Souza Franco.