Mais Acessadas

Entenda o caso do atleta 'morto vivo' do futsal do Paysandu

Arthur Vinícius, de 17 anos, morreu na noite da quarta-feira (13) por conta de um traumatismo craniano


Por: Redação ORM News Em 14 de janeiro, 2016 - 15h48 - Futsal

Foto: Divulgação

Em meio aos sentimentos que rondam a morte do Arthur Vinícius, de 17 anos, a dúvida foi regada. Isto porque pessoas ligadas à família anunciaram que, após ter sido dado como morto, o ex-ala do futsal do Paysandu teria retomado à vida.

Morador do bairro do Curió-Utinga, Arthur foi internado no Hospital Metropolitano no período do reveillón de 2016. Na ocasião, de acordo com a família, ele se envolveu em uma briga e foi atingido na cabeça com um pedaço de pau.

Na quarta-feira (13), o hospital informou acerca da morte cerebral do garoto e familiares dele compareceram ao hospital. Um dos tios autorizou a doação dos órgãos do menino e o hospital o manteve com sinais vitais através de aparelhos para a realização de tal procedimento. Diante disto, uma tia acabou viralizando através do celular que o garoto que tinha sido dado como morto, na verdade, estava vivo.

Na base da fofoca, várias versões - como a de que a vida de Arthur teria sido atestada já no CPC (Centro de Perícias Científicas) Renato Chaves - foram sendo criadas e, nesta quinta-feira (14), as instituições envolvidas no tema se pronunciaram oficialmente.

O Hospital Metropolitano informou que o ex-ala não havia deixado o local desde o dia em que foi internado, corroborando com a declaração, em nota, do CPC Renato Chaves, que informou que o corpo de Arthur só chegou ao Centro às 8h25 da manhã de hoje, sendo liberado para a família às 12h. 

Outra entidade que se posicionou foi o Paysandu, que planeja homenageá-lo na final do campeonato paraense sub-17, entre Remo e Castanhal, e que afiirmou, através do treinador de Arthur, Breno Cunha, que o garoto já não participava dos treinos do clube desde abril de 2015. 'Era um bom menino', disse.