Mais Acessadas

Google lança Museu de História com dinossauros em 360°

O Google Arts & Culture agora traz mais de 150 histórias interativas contados por especialistas e cerca de 300 mil fotos e vídeos


Por: Techtudo Em 15 de setembro, 2016 - 08h08 - Tecnologia

O Google anunciou na terça-feira (13) o lançamento de um museu online voltado para a história natural — com direito a réplicas de dinossauros em 360 graus. O Google Arts & Culture agora traz mais de 150 histórias interativas contados por especialistas e cerca de 300 mil fotos e vídeos que mostram desde o surgimento da Terra até as mudanças climáticas sofridas ao longo dos tempos.

Além disso, a plataforma também traz mais de 30 passeios em realidade virtual, com destaque para a recriação de animais pré-históricos em tamanho natural como dinossauros e criaturas marítimas. Além do página, o Google Arts & Culture está disponível em forma de aplicativo para Android e iOS.

O Google Arts & Culture vem sendo aprimorado, trazendo nos últimos tempos cada vez mais conteúdo online para quem não pode estar fisicamente em um museu ou no museu que gostaria de visitar. Em julho deste ano, a plataforma ganhou fotos inéditas do Rio de Janeiro, além da possibilidade de um passeio virtual pela cidade utilizando o Cardboard e outros recursos 3D.

Desta vez, a plataforma recebeu uma das maiores atualizações, como foco na história natural. Ao todo, mais de 50 instituições de várias partes do mundo participaram da curadoria e elaboração do material adicionado. São mais de 150 histórias interativas contadas por especialistas, 300 mil novas fotos e vídeos, e mais de 30 passeios virtuais contando sobre o planeta.

Um dos principais atrativos é a ‘ressurreição’ de animais pré-históricos, como o Giraffatitan que pode ser visto no Museu de História Natural de Berlim e o Rhomaleosauros, exposto no Museu de História Natural de Londres.

Animais pré-históricos e dinossauros podem ser visto em realidade aumentada  (Foto: Divulgação/Google)

Com a ajuda de cientistas, o Google conseguiu recriá-los em computação gráfica com detalhes que vão desde a textura da pele até o tamanho dos olhos. "Trabalhamos com ecologistas, paleontólogos e biólogos, para colocar a pele virtual e carne sobre os esqueletos preservados", explica Amit Sood, Diretor do Instituto Cultural do Google, em post no blog do Google.