I Corrida Contra o Câncer de Próstata estimula a prevenção

Prova foi realizada na manhã deste sábado e contou com mais de 500 corredores


Por: Agência Pará Em 26 de novembro, 2016 - 12h46 - Atletismo

Foto: Tarso Sarraf

Mais de 500 atletas participaram na manhã deste sábado (26) da I Corrida Contra o Câncer de Próstata, promovida pelo Hospital Ophir Loyola em parceria com a Sociedade Brasileira de Urologia com o propósito de chamar a atenção da sociedade para a saúde do homem e alertar o segmento sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce para o combate ao câncer de próstata - o tipo mais incidente e a principal causa de óbitos por câncer no Pará entre os indivíduos do sexo masculino. 

Os corredores percorreram cinco quilômetros de prova, que teve largada às 6h, em frente ao Hospital João de Barros Barreto e chegada em frente ao Centro de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon) do Ophir Loyola, que com o evento encerrou oficialmente a sua programação interna do Novembro Azul. Este ano, o Cacon cumpriu uma agenda de atividades que abrangeram desde ações educativas em praças, eventos socioculturais para os pacientes, mutirão de exames e consultas, até palestras de orientação sobre a prevenção e diagnóstico.

A programação reuniu corredores profissionais e amadores, além de médicos, enfermeiros e familiares de pacientes qe tem ou já tiveram a doença, solidários à causa e cientes da immportância de conscientizar a população sobre o problema. “O grande objetivo é disseminar informações para a sociedade sobre a doença, que pode ser curada se diagnosticada precocemente. Por isso, nada melhor que sensibilizar o homem sobre a necessidade de fazer o exame da próstata. Muita gente não se inscreveu, mas veio participar e isso é motivo de muita alegria. Com isso, nós atingimos a nossa meta e completamos as atividades do mês de novembro”, ressaltou o chefe do serviço de Urologia do HOL, Ricardo Tuma.

O Instituto Nacional do Câncer José Alencar (Inca) aponta que até o final do ano o Brasil terá mais de 60 mil casos da doença registrados. Desse total, até dezembro, mais de mil devem ser confirmados no Pará, sendo 340 somente na capital. O câncer é a principal causa de mortalidade em todo o mundo. A cada duas horas, três homens morrem com câncer de próstata no país.

Ricardo Tuma explica que doença tem 90% de chances de cura quando diagnosticada precocemente. “A partir dos 45 anos, todo homem deve fazer os exames urológicos anualmente, como o toque retal e a dosagem do Antígeno Prostático Específico (PSA). Caso haja histórico na família, é recomendável fazer os exames preventivos a partir dos 35 anos”, explicou.

O policial militar Renato Alves, 37 anos, terminou a prova em primeiro lugar entre os homens. Esta não foi a primeira vez que ele subiu ao pódio. “A corrida, além de incentivar o esporte, que também é importante para prevenir doenças, ajuda a alertar a população sobre esse, que é um grave problema de saúde pública. Por isso é um grande prazer estar aqui em prol de uma causa tão nobre”, disse.

As mulheres também marcaram presença na corrida. E a campeã na categoria feminina foi Regiane Portal, de 28 anos. Veterana nessa modalidade esportiva, ela já subiu ao pódio cinco vezes e acumula 23 medalhas de outras competições, mas teve um motivo especial para participar da I Corrida Contra o Câncer de Próstata: “A primeira vez que competi foi pela Corrida da Mulher, em que ganhei o primeiro lugar. Já essa participação foi em incentivo aos homens, sobre o cuidado com a saúde. O meu pai está doente porque não se cuidava, não passava por exames e consultas, achava que essas coisas não eram para ele. Agora ele sofre com a enfermidade”, contou.

A exemplo de outros eventos esportivos, a Federação Paraense de Atletismo deu validade à corrida junto aos órgãos competentes. “Quando fomos procurados, abrimos os braços para apoiar a causa e mostrar que a atividade física é importante para a prevenção de novos casos de câncer e de outras doenças”, contou o presidente da FPA, Jacó Lameira.