Mais Acessadas

No basquete, o Mago de Orlando quer somente a vitória

Oladipo espera jogo quente contra o Flamengo e com participação da torcida


Por: O Globo Em 04 de outubro, 2015 - 09h56 - Basquete

Camiseta 5 do Orlando Magic, da NBA, Kehinde Babatunde "Victor" Oladipo é o armador e principal destaque do time azul, preto e branco da Flórida, estado americano mais visitado por brasileiros, por causa da Disney. Daqui a duas semanas, no dia 17, estará pela primeira vez no Rio, onde o time irá enfrentar o Flamengo, pela pré-temporada da liga americana.

Sincero, ele admite conhecer pouco sobre a equipe brasileira, que em outubro passado perdeu três amistosos para times da NBA nos EUA, inclusive para o Orlando: 106 a 88.

— A energia vinda do público, e todas aquelas pessoas estando lá, isso certamente vai elevar o nível do nosso jogo. Vai jogar a adrenalina do jogo lá para o alto! Pode até ser um jogo de pré-temporada, mas o clima não será esse. Será uma grande experiência para nós — enfatiza ao GLOBO por e-mail.

Ano passado, quando o Orlando derrotou o rubro-negro, ele não pôde jogar:

— Entretanto, sei que é uma equipe muito conhecida no Brasil. Tenho certeza de que é um grande time. Tem alguns bons jogadores, e vamos ter de estar prontos para enfrentá-los, já que vão estar em casa. Eles têm uma grande torcida, e então haverá um bom clima na arena, e será uma grande partida fora de casa.

Divulgação

PAIS IMIGRANTES AFRICANOS

Ao analisar a última temporada, em que o Orlando obteve 25 vitórias e 57 derrotas, ele ressaltou que são números que a equipe quer melhorar. Neste sentido, para o armador, a viagem da equipe ao Rio será muito importante e poderá ajudar muito o time.

— Realmente, é muito importante o amistoso, pelo simples fato de que vai servir de começo para nós na temporada. Ele nos dá a oportunidade de enfrentar um adversário diferente logo cedo. Vai ser bom para nós suarmos a camiseta, ir à quadra e experimentar algo diferente — afirmou. — Será minha primeira experiência viajando para fora do país, vamos curtir isso e crescer como equipe.

Sobre os objetivos da equipe para a temporada, Oladipo, que é um dos destaques do quinteto, ressalta que o Orlando está em busca de vitórias:

— Nosso maior objetivo é vencer. Todas as outras coisas vão correr por si mesmas, e nós temos de ir pensando dia a dia. Se fizemos isso, tudo vai dar certo.

Ídolo em Orlando, o atleta de 23 anos nasceu em Silver Spring, no estado americano de Maryland, e educado em Upper Maryland, no mesmo estado. Como seu nome leva a concluir, o atleta é americano, mas tem ascendência africana. O pai dele, Christopher Oladipo nasceu em Serra Leoa. Tem Ph.D em ciência do comportamento pela Universidade Maryland, e é executivo de saúde no concado de Prince George. Sua mãe, Joan Amanze Oladipo, nasceu na Nigéria e trabalha como enfermeira. Christopher e Joan se casaram nos Estados Unidos em 1985, e têm quatro filhos, sendo Victor Oladipo o único homem. Uma de suas irmãs, Kendra, é deficiente auditiva. De classe média, a família Oladipo pôde enviar os filhos para bons colégios, caso de Victor que começou a jogar basquete na DeMatha High School, em Hyatsville, ainda em Maryland, escola pela qual foi campeão da cidade e da Conferência Atlética Católica de Washington.

O atleta só iria deixar seu estado natal em 2010, quando se mudou para Bloomington, em Indiana, um dos estados americanos em que mais se ama o basquete. Na Indiana University, ele se tornou um hoosier (apelido do time da instituição) e formou-se em radialismo esportivo, em 2013, tendo deixado em segundo plano propostas de outras universidades.

— Aqui há um clima de basquete em todo lugar que eu vá. Bloomington é uma cidade do basquete, e isso é perfeito — declarou ele, em 2010, ao acertar seu ingresso em Indiana.

SONHO COM A RIO-2016

Anos mais tarde, ficou provado que fora a melhor decisão. Premiado no basquete universitário em 2013, ele foi draftado como segunda escolha pelo Orlando Magic. Em 2013/2014, ele foi o segundo Novato do Ano, em votação dos fãs da liga e integrou o Time de Novatos da NBA. Com 1,93m e 95kg, em 2014/2015, obteve as médias de 17,9 pontos, 4,2 rebotes, 4,1 assistências e 9,9% de participação no jogo, conforme índice da NBA.

Sobre as Olimpíadas, em agosto de 2016, ele revela:

— Acredito que poderei estar na seleção americana. Se você acreditar em si mesmo, pode conquistar tudo. Tenho a máxima auto-confiança. Sou tão bom quanto qualquer outro. Por que não? É um objetivo meu.

Esta será a terceira vez que a NBA vai promover uma partida no Rio. Em 2013, o Chicago Bulls derrotou o Washington Wizards (então do brasileiro Nenê Hilário), por 83 a 81. Em 2014, o Cleveland Cavaliers — que estreava o astro LeBron James e contava com o brasileiro Anderson Varejão — derrotou o Miami Heat por 122 a 119 (107 a 107 no tempo normal).