Mais Acessadas

Reservas do Fluminense não resistem ao Nova Iguaçu

Apenas os titulares Cavalieri e Orejuela jogaram em Edson Passos


Por: O Globo Em 19 de março, 2017 - 19h16 - Futebol

Foto: Nelson Perez/ O Globo

O Fluminense esbarrou no nervosismo e na imaturidade de seus garotos, neste domingo, na derrota por 3 a 1 para o Nova Iguaçu, em Edson Passos. Apoiado na garantia de já ter uma vaga na fase final do Estadual por ter conquistado a Taça Guanabara, o técnico Abel Braga decidiu por escalar o Fluminense com diversas revelações formadas no Centro de Treinamento de Xerém. Começaram jogando Mateus Norton, Nogueira, Reginaldo, Marquinhos Calazans, Wendel e Pedro. Além dos seis recém saídos das categorias de base, o time contou, também, com outros nomes considerados reservas. Somente o equatoriano Orejuela e o goleiro Diego Cavalieri, do time titular, começaram a partida.

E foi justamente a juventude e o nervosismo Tricolor que definiram a derrota. Logo aos cinco minutos de partida, o zagueiro Reginaldo errou ao sair jogando. Caio Cezar puxou o contra-ataque, driblou o defensor e tocou para Marlon abrir o placar para o Nova Iguaçu.

O gol deixou a partida aberta. O Fluminense laçou seus meias e laterais para o ataque, enquanto o time da Baixada Fluminense aproveitou para explorar os espaços deixados pela defesa Tricolor. Numa das poucas jogadas trabalhadas pelo time de Abel Braga durante todo o jogo, o lateral Mateus Norton recebeu pelo lado direito sem marcação. O cruzamento do camisa 25 foi preciso na cabeça do atacante Pedro, uma das maiores esperanças da base Tricolor. A bola ainda tocou na trave antes de entrar.

A igualdade no placar, porém, não tranquilizou o jovem time Tricolor. O campo em péssimo estado dificultou ainda mais a troca de passes. Para piorar, a zaga voltou a falhar. Dessa vez, Nogueira recuou mal a bola após ser pressionado por Adriano. O zagueiro pediu falta, mas o árbitro deixou a partida seguir. Livre, tendo à frente apenas Diego Cavalieri, o camisa 9 entrou na área e tocou por baixo do goleiro Tricolor: 2 a 1 Nova Iguaçu aos 39 do primeiro tempo.

POUCA INSPIRAÇÃO

Sem mudanças para o 2º tempo, Abel insistiu na capacidade de seus garotos em mudar o rumo da partida. A maior posse de bola, porém, não se refletiu em chances claras de gol. Bem postado, o Nova Iguaçu anulou a armação Tricolor. A garantia da vitória do Nova Iguaçu veio aos 26 minutos do segundo tempo. Em falta cobrada pela esquerda, Paulo Henrique arriscou chute direto ao gol. Diego Cavalieri não segurou e a bola bateu em Nogueira para morrer nas redes Tricolor. Nos minutos finais, muita correria e zero inspiração. Apenas o atacante Pedro, em dois chutes, ameaçou diminuir o placar.

Da experiência feita por Abel Braga, ficou clara a necessidade de mais rodagem aos garotos tricolores. O ideal, porém, aponta para testes com o time titular. Com apenas reservas, o resultado não trouxe nada de positivo ao Tricolor.